Relacionamentos (Todos Eles)

Nos relacionamentos, todos eles, existem leis sistêmicas que atuam. A maior parte de nós não percebe ou desconhece completamente. Quando dentro do relacionamento na família de origem (pai, mãe, irmãos) algum membro, sente-se melhor ou superior ao outro, as leis estão sendo infringidas e o relacionamentos se desequilibram. O viver é repleto de conflitos, não há sucesso, prosperidade, alegria, saúde.
Nesta relação, os pais são superiores aos filhos, afinal através deles, a vida foi transmitida. Eles se dispuseram a isso. A vida é grandiosa. Um verdadeiro presente!
Nem todos percebem a dimensão do que possa ter custado aos pais a disposição em ter filhos, enfrentando situações difíceis, renunciando tantas vezes aos seus próprios anseios. Mesmo assim levaram adiante à vida. Aos filhos, uma palavra : gratidão!
Não importa o que tenha acontecido com os pais, se estão vivos ou mortos. Os filhos só existem porque os pais existem. Quando esta consciência é sentida, compreendemos os pais e somos gratos. E então, ao perceber o lugar de filho, abandona-se a ideia de superioridade em relação aos pais. Com isso nesta relação estabelece-se o equilíbrio.
O relacionamento é leve e fluido. Nesta relação, as demais são estabelecidas. Filhos que respeitam a Ordem dentro da família de origem e conhecem seu lugar respeitam seus parceiros(as), respeitam seus superiores dentro do trabalho, respeitam os colegas, respeitam a si mesmos, respeitam a todos, sem distinção, sem julgamentos. Seguem em frente na vida, de maneira geral bem sucedidos e saudáveis.

No entanto, quando se observa estas relações sistemicamente, por mais que o individuo diga que entende e respeita , surpreende-se com o que se mostra.
No trabalho sistêmico, o que atua, o oculto nos relacionamentos, mostra – se fortemente.
Reconhecer o que é! Quando acontece e internamente permite-se a concordância, sente-se alívio e leveza. Isso pode ser sentido prontamente ou necessitar de um tempo maior. Cada pessoa é uma pessoa. Depende. É fato que nos relacionamentos vivemos, crescemos, amadurecemos, não importa a idade que se tenha.
O primeiro e mais importante relacionamento da vida é com nossos pais. A partir deste relacionamento, nos inserimos e compreendemos os demais, sem nos sentirmos superiores ou inferiores. Apenas pessoas crescendo dentro das relações.


Elaine Leal Carvalho
Terapeuta e Consteladora Familiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =