Tristeza

Posso escrever sobre a tristeza partindo da minha vivência.

Tristeza existe. É real.

Socialmente a tristeza não é vista com olhos compreensivos. É vista como um sinal de perigo, quase como uma doença contagiosa.

A maior parte das pessoas, tem medo de entrar em contato com a tristeza. Talvez por medo de não suportá-la. Encontram uma maneira de ignorá-la de fazer de conta que não existe. Engolem a tristeza colocando-a em um canto qualquer de si mesmo com o famoso “ deixa pra lá “.

A tristeza é quase proibida.

Tristeza é confundida com depressão e dá-lhe tarja preta para não sentir.

Estar triste faz parte dos sentimentos que habitam nosso ser, assim como estar com raiva, estar com medo, estar feliz.

Ninguém é feliz o tempo todo.

Estado de espírito não é uma linha contínua e permanente. Se alterna conforme as circunstâncias, acontecimentos, situações.

Ouço muitas e muitas vezes pessoas dizerem : não gosto de ficar perto de gente triste.

A tristeza também é confundida com pessimismo. Esta confusão de interpretação acontece quando se teme olhar para si mesmo.

Em redes sociais é PROIBIDO expressar tristeza. As fotos com seus filtros, truques e maquiagens, os vídeos editados e elaborados querem nos fazer acreditar que a felicidade é o único sentimento que pode ocupar espaço.

Quem está triste acaba por se isolar pois sabe que não será acolhido e compreendido. Não terá companhia, a não ser a própria tristeza.

É vergonhoso estar triste. O que os outros vão pensar ?

Querer atender o tempo todo a expectativa dos outros, é triste. Muito triste.

Na felicidade, ainda que mentirosa, sempre há companhia e acolhimento.

Quem está triste é cobrado com relação ao tempo de sentir-se assim.

Não pode ficar triste por mais de uma hora. Não pode !

A cobrança em relação à duração de um sentimento é desigual.

Excessos em qualquer sentimento, pedem atenção.

Eu acolho minha tristeza.

Como qualquer outro sentimento, a tristeza tem algo para me dizer. Algo importante e profundo.


Elaine Leal Carvalho
Terapeuta e Consteladora Familiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + um =